14 Set 2015

Compro minha casa ou apartamento pelo Minha Casa Minha Vida agora ou devo adiar esse sonho?

Categoria: Financiamento
Temos duas situações importantes para analisar antes de responder a essa pergunta:

a. A eminente alta das taxas de juros para o Minha Casa Minha Vida

b. O desaquecimento do mercado imobiliário e uma provável queda nos preços

Vamos à primeira.

A eminente alta das taxas de juros do Minha Casa Minha Vida já anunciada pelo Ministro das Cidades, Gilberto Kassab, vai tornar os financiamentos de imóveis mais caros. Como o valor da parcela é limitado a 30% da renda bruta mensal, os valores liberados de financiamento ficarão menores, tornando os valores necessários de entrada mais altos.

E esse é o grande problema da maioria das pessoas que procuram seu primeiro imóvel. Apesar de poderem usar o seu FGTS, a maior dificuldade enfrentada pelos jovens casais que procuram sua casa ou apartamento é a incapacidade de conseguirem guardar dinheiro para complementar essa entrada.

Também não podemos deixar de mencionar que ao final do financiamento terá se pago uma valor substancialmente mais alto de juros com essas novas taxas.

Outra questão importante são os subsídios que são oferecidos nessa linha de financiamento. Hoje esse valor pode chegar a R$ 17.960,00 na região de Blumenau, Indaial e Timbó. Esses subsídios dificilmente resistirão incólumes ao período de ajuste fiscal que estamos passando.

Quer saber como ficariam os valores de entrada e parcelas para a sua renda? Clique aqui.

A segunda questão são o desaquecimento do mercado e o impacto dessa desaceleração nos preços dos imóveis.

Diferente dos mercados de médio e alto padrão, no segmento Minha Casa Minha Vida não há muito espaço para descontos. Esse mercado continua aquecido e não há dificuldade para venda de novas unidades. As margens de lucro praticadas nesse segmento são historicamente menores que nos mercados de alta renda. Assim com o aumento dos custos ocorridos nos últimos 2 anos e com o limite de preço de venda em 145 mil reais, a possibilidade de novos projetos e lançamentos com preços melhores é praticamente inexistente.

A conclusão é simples. Procure um imóvel que atenda às suas necessidades, estude as condições de financiamento e não perca tempo. Os custos de financiamento irão aumentar e não há espaço para queda nos preços dos imóveis novos do Minha Casa Minha Vida. As condições de compra de casas e apartamentos ficarão, em um futuro próximo, mais difíceis e mais caras.

Ricardo Cubas é corretor de imóveis e apaixonado pelo mercado imobiliário